6 Dicas para ter um Currículo Profissional Irrecusável

Todo mundo que deseja entrar no mercado de trabalho ou almeja uma recolocação passa pela necessidade de elaborar um currículo profissional. Um currículo deve conter o histórico laboral do candidato, revelando a sua experiência e as suas habilidades.

Para saltar aos olhos do recrutador, muitos têm inventado mil “modas”, o que, de certa forma, já mostra a capacidade criativa e inovadora de quem está buscando uma vaga. Mas é importante considerar que todo headhunter precisa colher certas informações que não podem faltar em um currículo. Portanto, seja criativo mas não se esqueça do básico.

A seguir, listaremos seis itens que não devem ser desconsiderados quando você elaborar o seu currículo.

1. Layout

Currículos elaborados em editores de textos devem seguir um layout (formato) que favoreça e privilegie as informações relevantes. Destaque os títulos e subtítulos alterando o tamanho das fontes (tipos de letras), dando-lhes negrito. Evite usar fontes diferentes em um mesmo texto. Não recomendamos também a escolha de fontes incomuns e de difícil leitura. Fontes cursivas são para cartas, não para este tipo de documento. Por isso, recorra às fontes mais comuns, como: Times New Roman ou Arial.

Você já ouviu aquela máxima que diz “o menos é mais”? Pois bem, há pessoas que querem inovar tanto que acabam se prejudicando. Existem muitos recrutadores que desconsideram um currículo só pelo formato estranho. Currículos com visual moderno e arrojado são mais indicados para designers, publicitários, profissionais de marketing e afins. Profissões que não têm a criatividade como ponto forte devem seguir padrões. Currículo é currículo.

2. Tamanho

Recrutadores costumam receber centenas ou milhares de currículos para uma vaga. Imagina se eles tivessem que ler pilhas e mais pilhas de currículos de várias páginas? Portanto, procure condensar as informações mais importantes em uma página, no máximo duas. Se ele se interessar pelo seu currículo, com certeza, o chamará para uma entrevista visando conhecê-lo melhor. Então, nesse momento, você poderá fornecer a ele informações mais precisas, mas, por favor, espere que ele lhe peça ou pergunte.

3. Experiências

Ao relacionar suas experiências profissionais, inclua não só o cargo que ocupou, mas suas habilidades e competências, enumerando suas atribuições e, principalmente, os resultados que alcançou. Valorize-se com números (p.ex.: meu trabalho contribuiu para um crescimento de 35% de lucro no último ano). Não se esqueça também de incluir os prêmios e reconhecimentos obtidos em trabalhos anteriores ou em associações profissionais.

4. Escreva corretamente

A pior coisa que pode acontecer é um recrutador se deparar com um currículo mal escrito. Ele o rasgará na hora. Portanto,esteja atento ao que você escreve. Faça revisões, peça para alguém capaz ler e avaliar. Além disso, é importante ser capaz de ir direto ao ponto, sem rodeios. Diga o que precisa ser dito sem prolixidade.

5. Pretensão Salarial

Este é o grande terror dos candidatos. Muitos questionam a necessidade dessa informação. Acham que os selecionadores querem apenas medir o mercado. Na verdade, esta pergunta serve para perceber o quanto o candidato conhece de sua área. Por isso, mencione valores somente quando for expressamente pedido. Mas não invente cifrões. Faça uma pesquisa antes. Procure conhecer o segmento pretendido e quanto um profissional nessa área ganha.

6. Palavras-chave

Utilizar palavras pertinentes à área de atuação e às características profissionais são de extrema importância, principalmente quando o candidato disponibiliza o currículo na internet. Com as palavras-chave certas para uma determinada área, o currículo se destaca. Hoje em dia, muitas empresas recorrem a ferramentas de busca que cruzam os cadastros e selecionam os currículos mais adequados ao perfil procurado.

Em geral, as empresas delimitam o perfil dos profissionais seguindo critérios básicos como idade, cargo almejado, formação técnica ou acadêmica, idiomas e cursos específicos. Escolha palavras-chave que resumam seus conhecimentos, suas habilidades e, principalmente, recorra aos jargões relacionados diretamente à sua área de atuação do profissional.

Este artigo foi escrito por Aldo Marques, coach, idealizador do programa Vencer Agora, analista comportamental de assessment DiSC, colaborador do site Kaizen Talentos Humanos.