Como se sair bem em uma entrevista de emprego

Se você almeja uma oportunidade de emprego saiba que precisará estar preparado para lidar com perguntas que tratem de sua experiência profissional, seus relacionamentos em um ambiente de trabalho e sua capacidade de interação e de entrega de resultados. Qualquer entrevistador precisará saber como você lidará com situações difíceis. E, às vezes, ele recorrerá a questões delicadas durante o processo seletivo. Saber responder adequadamente a essas questões é primordial para obter uma boa avaliação.

 

 

Como você me responderia neste exato momento se eu lhe perguntasse qual é a sua pretensão salarial? E se eu lhe perguntasse como se deu a sua demissão no último emprego? Em que contexto ocorreu o seu desligamento? Você conseguiria se expressar com clareza e precisão?

 

Veja a seguir algumas dicas para você se sair bem em uma entrevista de emprego.

Em primeiro lugar, adote sempre uma conduta ética. Nunca fale mal de ninguém. Nem de você, nem de seu ex-chefe, nem da empresa em que trabalhou anteriormente, por mais que tenha sido o pior emprego da sua vida e que você a esteja processando na Justiça do Trabalho. É claro que você não precisa tecer elogios, se não é o caso. Saiba que muitos entrevistadores possuem experiência e técnicas para detectar quando um candidato mente ou finge. Fale apenas o necessário. Seja conciso e verdadeiro.

Muito certamente você ouvirá perguntas como “Fale-me sobre você”; “Porque deveríamos contratar você?”; “Quais seus pontos fortes e fracos?”; “O que você sabe sobre esta organização?”, entre outras. O objetivo do entrevistador é, principalmente, avaliar sua capacidade de resposta e articulação, sua fluência verbal e seu raciocínio. Atender a curiosidades tais como “Qual é a sua orientação sexual?” ou “Qual é a sua religião?” não é o foco do bom entrevistador, pois ele sabe que em nada influenciariam sua análise, além de deixar o entrevistado desconcertado.

Ao se deparar com entrevistadores curiosos com falta de bom senso, delicadamente você pode questionar a importância da questão para o processo seletivo. Exemplo: “Interessante a sua pergunta, mas em que exatamente ela contribuiria para o processo seletivo e minha performance na empresa?”. Sim, você pode retrucar uma pergunta com outra pergunta! Seja educado e consciente do seu valor. Se você precisa de um emprego, o entrevistador precisa de um profissional qualificado.

Saia Justa

Uma das perguntas mais desconcertantes é quando o entrevistador quer saber o contexto em que o candidato foi desligado (ou se desligou) do antigo emprego.

Acredito que a melhor resposta a ser dada é: você e a empresa (ou o chefe) possuíam pontos de vistas diferentes sobre um ou outro assunto, e que, por isso, você preferiu buscar novas experiências em outras corporações.

Na verdade, não há regras para esta resposta. Eu dei a minha sugestão, mas você mesmo pode considerar uma resposta mais adequada para você, desde que, como eu já disse anteriormente, seja levada em conta a ética. Nunca queira prejudicar sua própria imagem ou falar mal do antigo empregador.

Pretensão Salarial

Particularmente, eu sempre odiei a pergunta “Qual é a sua pretensão salarial?”. O que eu recomendo é não responder com um valor absoluto, e sim, uma faixa salarial, deixando claro que você se encontra aberto para negociações. E para isso, é importante que você tenha pesquisado o nível salarial dos profissionais que exercem o mesmo cargo que você está pleiteando, com o nível de experiência similar e que trabalham no mesmo setor.

Uma vez que o entrevistador faça esta pergunta, foi dada abertura para que você possa debater o assunto e levantar questões sobre os benefícios oferecidos pela empresa. Muito provavelmente é o que o entrevistador espera: saber como você vai se comportar diante da situação e o que você valoriza.

Considere que o salário é somente um dos elementos importantes. Às vezes benefícios, sendo bastante atraentes, compensam até um salário menor.

Sua experiência profissional

Ao ouvir dos recrutadores a pergunta “O que você fez de bom no seu último emprego?”, recorra a dados legítimos e mensuráveis. Considere apresentar números e percentuais. Identifique o que realmente você desenvolveu, criou ou realizou no último emprego. Lembre-se: “contra fatos não há argumentos!”. Eis aqui alguns exemplos: “Como gerente de produção fui responsável pelo setor “X” que contribuiu para um crescimento de 125% do faturamento da empresa no último ano.”; “Tendo realizado em média dez ações promocionais por mês no ano de 2016, consegui alavancar a empresa para o 2º lugar no ranking de tal revista de negócios.” Esta pode ser uma ótima oportunidade para mostrar ao entrevistador como você pode contribuir objetivamente com a empresa contratante.

Conclusão

Aqui fica uma última dica: por mais que você esteja preparado para responder as possíveis perguntas apresentadas neste artigo, procure dar respostas com naturalidade e originalidade, sendo verdadeiro em todos os momentos. Isso, com certeza, vai garantir o seu sucesso em uma entrevista de emprego.

Esperamos que este artigo tenha lhe ajudado a ser um melhor profissional e consiga ingressar ou reingressar no mercado de trabalho. Desejamos-lhe sucesso em todos os seus empreendimentos.

Este artigo foi escrito por Aldo Marques, coach, idealizador do programa Vencer Agora, analista comportamental de assessment DiSC, colaborador do site Kaizen Talentos Humanos.
Como melhorar sua empregabilidade para conseguir ou manter o seu emprego?